Existe bullying na Educação Infantil?

04:25


Existe bullying na educação infantil? Podemos encontrar um autor de bullying ainda na primeira infância? Como agir quando a criança sabe que determinada situação é errada, porém, mesmo assim a faz?

O bullying é revelado por ações agressivas. A agressividade está presente em qualquer série, ciclo, faixa etária, sendo notada até mesmo, na educação infantil.
Para identificar e prevenir o fenômeno bullying ainda cedo, é muito importante conhecer as esferas da agressividade na educação infantil e saber discernir o que é, e também o que não é, de fato, esperado para determinada faixa etária, sexo e fase de desenvolvimento cognitivo que a criança se encontra.
A agressividade, nesta fase, tende a sofrer mudanças em sua forma, freqüência e na motivação para esta ação.
Ao longo dos anos, a agressividade tende a diminuir ou modificar-se conforme a criança passa pelas etapas do seu desenvolvimento cognitivo; vivencia experiências construtivas; socializa-se e encontra na professora, no professor ou nos pais, um mediador para as suas ações.
Para mediarmos os conflitos e as situações de agressividade ocorridos em nossa sala de aula de maneira assertiva e construtiva, primeiro é preciso entendê-los. E nada melhor do que começarmos dando atenção aos envolvidos nestes episódios.
É importante pensarmos que todo conflito envolvendo agressividade entre as crianças, durante a educação infantil, deve ser uma ponte que os leva a um caminho de autoconfiança e construção.
Ao pensarmos em uma situação no qual, como conseqüência de um atrito, uma criança de dois anos bate ou morde um colega da sua turma, não podemos dizer que esta é uma criança agressiva e que possui um transtorno de conduta.
Com esta idade o seu melhor e mais rápido mecanismo para alcançar o seu objetivo é por meio da linguagem corporal e pode utilizar-se da mordida com essa finalidade. A criança não entende que está machucando, pois o seu estágio atual do desenvolvimento cognitivo não permite que esta se coloque no lugar do outro.
Por volta dos cinco anos de idade, a criança já é capaz de agredir intencionalmente e, também, é capaz de inventar apelidos, formar panelinhas e, até mesmo, fazer “brincadeiras” de mau gosto mesmo sabendo ser errado.
É nesta fase que os comportamentos de agressões físicas e morais e a baixa auto estima devem ser trabalhados evitando que tais características se acentuem.
A personalidade da criança é construída nos primeiros anos de vida e coincide com sua passagem pela educação infantil. Por isso, o papel e o exemplo dos pais e dos professores e, também, a forma com que eles resolvem os conflitos do dia a dia, ajudam a formar a base da educação da criança, evitando até mesmo que se envolvam com o fenômeno no futuro, seja como alvo ou autores de bullying.
A agressividade existe na educação infantil e pode ser desencadeada pela falta de limites, ausência de carinho e atenção, acontecimentos passageiros na vida da criança, transtorno comportamental ou, até mesmo, por não saber interagir com o outro senão, por meio da agressão.
O educador deve mostrar para a criança outras maneiras de resolver os conflitos sem a utilização da violência, evitando encaminhar ao especialista, crianças que não possuem transtorno de conduta. 
È importante saber que a educação infantil é o período ideal para o início das práticas de prevenção ao bullying. 

Autora Carolina Giannoni Camrgo.
 

Você provavelmente vai gostar

1 comentários

  1. Estou estudando formas de prevenção do bullyng desde os primeiros anos de vida, pois a personalidade se forma nesta fase da vida.
    Quais são as ações da família e da escola, que ajudam a formar um indivíduo que pratica e é alvo do bullyng?

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!