domingo, 7 de novembro de 2010

Autor de bullying.


Como podemos punir o autor de bullying? O autor de bullying pode ser alvo em outro lugar? Há conseqüências para este envolvido?

Como educadores, antes de pensarmos em punir o autor de bullying, é importante pensarmos em trazê-los a um convívio social adequado, ensinando-os a conviverem de maneira afetiva, destacando-se por suas qualidades e não pelo caminho da agressividade.
É importante termos em mente que, muitas vezes, o autor de bullying é vítima de uma educação violenta ou permissiva demais, nas quais não foram ensinados valores como respeito ao próximo e justiça.
Por isso, como punir uma criança ou um adolescente que não aprendeu a resolver seus conflitos de maneira assertiva ou não aprendeu a valorizar-se como cidadão?
Além das possibilidades apresentadas acima, um autor de bullying pode agir desta maneira na escola, por ser vítima de alguma violência em casa, por exemplo. Muitos utilizam a violência como uma válvula de escape para os seus problemas.
Por isso, os sinais que os autores de bullying nos dão, por meio dos comportamentos apresentados por eles, nos permitem ajudá-los para que deixem de envolver outras crianças ou adolescentes em seus problemas não resolvidos.
Esta preocupação é grande por dois motivos: o primeiro nos permiti ajudar os autores, e como conseqüência, obtermos uma diminuição dos casos de bullying praticados por ele. O segundo motivo diz respeito às conseqüências sofridas pelos autores de bullying devido ao seu próprio comportamento agressivo. Apresento as conseqüências para que vejamos a gravidade das mesmas:
·         Queda do rendimento escolar
·         Envolvimento com drogas lícitas e ilícitas (Alcoolismo)
·         Participação em gangues
·         Abandono escolar
·         Maior chance de envolvimento com a criminalidade
·         Arrogância extrema
·         Comportamentos problemáticos e delinqüentes
·         Práticas de furto e roubo
Vejamos como as conseqüências extrapolam os muros da escola e atingem toda a sociedade. Por isso, mais do que ajudar os autores de bullying, prevenir e combater o fenômeno na escola é uma atitude de cidadania.  
Por outro lado, os pais dos alvos encontram na justiça uma forma de resolução do caso. Atualmente, existem inúmeros processos abertos contra a escola, contra os pais dos autores de bullying ou, até mesmo, contra os próprios autores da violência quando estes são maiores de idade.

Carolina Giannoni Camargo

Um comentário:

  1. acho que nao devemos olhar para o autor como um ciotadinho e nem como um marginal ele só quer brincar, é um pit boy ou pit girl, qual o problema disso?

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Li e não gostei.

Acabei de ler uma matéria no site da Revista Encontro dizendo que o caso de Goiânia não foi bullying. Até aí tudo bem, nem sempre é fác...