sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Perigos na internet

Olá amigos.

Nos últimos dias conversei com vários conhecidos e ouvi casos absurdos sobre o mau uso da Internet e das redes sociais. É incrível como jovens adultos postam comentários e conteúdos na rede sem imaginar e entender que, do outro lado do computador, está o mundo.
Entre os adolescentes a situação é ainda pior, postam tudo, inclusive imagens de suas primeiras experiências sexuais. Não refletem que o conteúdo ao ser publicado, como o próprio nome já diz, torna-se público algo até então privado. Contar sobre suas experiências aos colegas e amigos é direito de qualquer um, mas quando colocadas na rede tomam proporçoes maiores, perigosas e impossíveis de serem controladas. 
Escolas: levem a discussão para os alunos, refletir é o principal caminho para diminuirmos os casos de violência pela Internet!
Afinal, antes de ser uma rede de computadores, a Internet é uma rede de pessoas (boas e más).

Carolina Giannoni Camargo

Segue reportagem interessante:

Redes sociais e privacidade não são incompatíveis

A melhoria da segurança e da privacidade online depende da conscientização dos internautas. A opinião é de Alessandro Barbosa Lima, diretor geral da e-life, empresa especializada em gestão de Relacionamento nas Mídias Sociais. É mestre em Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo é também autor do livro E-LIFE - Ideias Vencedoras para Marketing e Promoção na Web.

Nesta entrevista ao Internet Segura, ele fala sobre na segurança nas redes de relacionamento e os cuidados que devem ser tomados para manter a privacidade e evitar ataques de malware.

Quais são as novas ameaças que as redes sociais – em especial, Facebook, Orkut e Twitter –  trouxeram para a privacidade e a segurança dos usuários de internet?
Podemos dizer que as novas ameaças são principalmente as pessoas. As redes sociais potencializam o malware, o phishing scam e as demais ameaças tradicionais por meio do endosso das pessoas. Ao confiarem em links, aplicativos e conteúdos publicados por integrantes de suas redes sociais – por laços fortes (contatos mais próximos) ou laços fracos (amigos on-line) –, as pessoas acabam aumentando o risco de contaminação em suas redes. Não podemos esquecer que uma das maiores ameaças que já existiu no mundo dos vírus, o ILOVEYOU, utilizava uma rede social para se espalhar: o e-mail.

Quais são as principais recomendações para se proteger contra as ameaças?
Desconfie de todo os links e aplicativos publicados nas redes sociais. As ameaças podem vir por meio de pessoas conhecidas, então tome o máximo de cuidado ao executar aplicativos ou clicar em links nas redes sociais.
 
Já surgiram exemplos de malware específicos para essas redes? Os desenvolvedores de software de segurança já apresentaram soluções?
Sim. Desde 2009, já existiam vários tipos de malware se popularizando. De acordo com a Sophos, empresa especializada em segurança, os cibercriminosos têm dado mais atenção às redes sociais nos últimos meses, com um grande aumento em registros de spam e malware.  Vários desenvolvedores já oferecem soluções para esse tipo de ameaça há cerca de dois anos.
 
Como saber se as informações pessoais publicadas nos perfis do Facebook ou do Orkut não serão vendidas ou não vazarão da internet, como aconteceu recentemente?
A maioria das redes sociais possui políticas de privacidade bem avançadas e que garantem a proteção do usuário. Porém, geralmente, essa proteção não é garantida nas configurações padrão dessas redes. Os internautas se esquecem de verificar com as opções de privacidade estão configuradas e, por isso, podem ter sua privacidade violada. É nesse momento que uma empresa que monitora redes sociais pode ter acesso a dados particulares. Foi porque os usuários deixaram suas informações desprotegidas. As empresas responsáveis pelas redes sociais não costumam compartilhar informações.

Qual sua opinião sobre serviços como o Foursquare, que divulgam sua localização nas redes sociais? Pode ser um benefício para o usuário, à medida que novos serviços surgirem com base nessas informações, ou uma ameaça à segurança e à privacidade?
A privacidade sempre será um tópico discutido ativamente nas redes sociais. Não podemos esquecer que não é apenas o Foursquare, o Facebook ou o Twitter que ameaçam nossa privacidade. O próprio Google Maps, com serviços de geolocalização, pode ser uma ameaça se não for bem usado. Assim como os celulares, as câmeras digitais e outros aparatos tecnológicos. Creio que os consumidores precisam se conscientizar sobre como utilizar as configurações de privacidade para se proteger, exigindo políticas claras por parte das empresas.

(fonte: http://internetsegura.terra.com.br/site/interna.aspx?id_conteudo=455)

Um comentário:

Deixe seu comentário!

Atendimento On Line

Você também precisa de orientação para solucionar um caso de bullying? Você é o responsável por uma criança que está sofrendo bullyin...