Banco de Registro de Violência

06:59

Uma receita de paz

O objetivo é criar um banco de dados único capaz de orientar ações preventivas 

 

Porto Alegre – Um sistema online para o registro de situações de violência é o novo aliado de Canoas contra as agressões e ameaças no ambiente escolar.

Na quarta-feira, a prefeitura da Grande Porto Alegre apresentou a diretores de escolas a ferramenta por meio da qual eles poderão anotar diariamente os casos de conflito e obter gráficos instantâneos sobre o perfil das ocorrências.

Batizado de Registro de Ocorrência de Violência Escolar (Roves), o sistema já está disponível na página da prefeitura na internet e pode ser acessado mediante senhas que começaram a ser fornecidas às direções. No começo do ano letivo de 2011, todas as 42 escolas municipais de Ensino Fundamental estarão integradas ao projeto. O registro online é a mais nova iniciativa de uma política de enfrentamento à violência, com foco na prevenção, que vem obtendo vitórias no processo de pacificar as escolas da cidade.


Ao acessar o Roves, o diretor ou supervisor do colégio vai deparar com um formulário que solicita uma descrição detalhada da incidência e que pode ser respondido em um minuto e meio. A ficha pede informações como o perfil dos envolvidos (mas não solicita nomes, porque o objetivo não é incriminar) e o tipo de situação (agressão física, agressão verbal, bullying, entrada de pessoas estranhas, entre muitas outras). Também questiona se houve envolvimento de drogas ou a participação de “bondes”. Submetidos os dados, o software os incorpora e oferece gráficos estatísticos sobre o perfil da violência na escola. A ideia é que cada pequena incidência fique registrada, revele tendências e permita que se atue antes de uma situação grave ocorrer.


– Nossa lógica é de não esperar para agir só depois de uma tragédia. Por isso, estamos estimulando as direções a preencher até as situações mais simples. Com esse sistema, a escola saberá que tipo de situação está ocorrendo, em que série e com qual motivação. Também oferecerá dados de toda a rede à prefeitura, o que nos permitirá fazer ações específicas – afirma Alberto Kopittke, secretário municipal de Segurança Pública e Cidadania.


A partir de agora, supervisores e diretores passarão por oficinas para aprender a analisar os dados computados na internet e para produzir políticas a partir deles. O mapeamento da violência escolar também será repassado periodicamente a coordenação da Ronda Escolar e ao Gabinete de Gestão Integrada de Canoas. Com base nas informações, o plano é que se façam intervenções e se estabeleçam políticas públicas específicas de acordo com a necessidade de cada escola.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/impressa/11,3137176,157,16066,impressa.html

Você provavelmente vai gostar

0 comentários

Deixe seu comentário!