terça-feira, 19 de abril de 2011

Auto-agressões são prática em 15% dos jovens

Estudo chega à conclusão que os jovens de 14 anos se mutilam de propósito porque não sabem lidar com as emoções. E também não fazem nada quando vêem outros a serem agredidos
Por: Redacção Fonte: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/jovens-agridem-se-de-proposito-bullying-ciberbullying-tvi24--/1246546-4071.html

 
Um estudo da Organização Mundial de Saúde a que o jornal «Público» teve acesso revela que 15, 6 por cento dos jovens portugueses, com uma média de 14 anos e alunos do 6º, 8º e 10º ano, se magoam de propósito. Mais de metade fá-lo nos braços, mas quase sempre em sítios não visíveis.

A investigadora Margarida Gaspar de Matos, coordenadora do estudo para Portugal, explica ao jornal que estes adolescentes o fazem «como forma de auto-regulação emocional», porque se sentem «tristes, irritados e desesperados». Estes jovens são também aqueles que apresentam mais comportamentos de risco: fumam, bebem, têm dificuldade em fazer amigos, mas, por outro lado, são também aqueles que mais provocam. Uma «minoria preocupante» no entender da investigadora, e uma realidade escondida já que são os pais destes jovens que pouco ou nada sabem sobre a vida e os amigos dos filhos.

De dentro para fora, o trabalho, que envolveu 5050 adolescentes de 136 escolas públicas, chega a outra conclusão importante: mais de metade assistiu a brigas no recreio e, destes, dois terços não fez nada. Margarida Gaspar de Matos descreve este comportamento como «uma forma de violência pela passividade».

O bullying tradicional acaba por descambar numa versão moderna que está em crescendo. O ciberbullying já afecta quase 16 por cento destes adolescentes, muito por culpa do tempo que passam à frente do computador. Uma espada de dois bicos, pois, por outro lado, é positivo e colocam Portugal no mesmo patamar que os países mais avançados. As provocações são feitas essencialmente através de mensagem de telemóvel e pelomessenger. Ao «JN», a investigadora sublinha que esta «não é ainda uma realidade alarmante, mas é preciso estar atento».

Há ainda outro senão: 18,8 por cento têm excesso de peso ou são obesos devido às vidas sedentárias. O problema transferiu-se da infância para a adolescência.

Mas, ficamos a saber mais sobre estes jovens. Boas e más notícias. Nota positiva para a quebra no consumo de álcool e tabaco. No entanto, cresce o consumo e haxixe.

Os trabalhos da escola também são alvo do estudo e a parte portuguesa conclui que estes constituem «um stress» para os alunos. Doze por cento, um dos piores resultados entre os 44 países que fazem parte do estudo.


Nota: O resultado acima foi obtido por Portugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!

Atendimento On Line

Você também precisa de orientação para solucionar um caso de bullying? Você é o responsável por uma criança que está sofrendo bullyin...