segunda-feira, 7 de junho de 2010

Participantes do Bullying!

Podemos dizer que existem três tipos de pessoas que participam do fenômeno bullying. São elas: alvo, autor e espectador.

Autor de Bullying


O autor de bullying é aquele que, de maneira consciente, persiste em seus atos agressivos sem se importar com o sentimento alheio. Sente-se inseguro e, por isso, menospreza o outro para se destacar perante o resto da turma. Não reflete sobre as consequências de seus atos e, muitas vezes, é vítima de uma educação sem limites, regras, amor e com excesso de agressividade nas relações.

Alvo de Bullying
 

O alvo de bullying é aquele que recebe as ações agressivas, seja elas diretas ou indiretas, físicas ou psicológicas, sem tê-las motivado. Geralmente não conta que sofre as agressões por medo de retaliações, insegurança e falta de confiança no adulto.

Espectadores

 
Os espectadores são os alunos que assistem as agressões. É o público que o autor precisa ter para poder se aparecer. Os espectadores não costumam denunciar as agressões pois temem se tornar o próximo alvo e, por isso, agem coniventes com as situações agressivas e fingem achar graça da gozação. O que contribui para a continuidade do fenômeno bullying.

6 comentários:

  1. Quais as consequencias para os espectadores, o público? obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora h;a uma lei que quem assistir (os espectadores) e nao fizerem nada vao presos

      Excluir
    2. Oi Leticia Lima. Obrigada por comentar. Ainda nao sei dessa lei, poderia me passar mais informacaoes. Mande para contato.bnbullying@gmail.com :) Obrigada!!!

      Excluir
  2. Achei bem legal postarem sobre o assunto, me ajudou no meu trabalho! A explicação está clara, e bem boa, obg :D

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por comentar!
    Espero ter ajudado e o que precisar estamos aqui!
    Todos contra o Bullying. Todos pela Educação.

    Carol
    :)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Li e não gostei.

Acabei de ler uma matéria no site da Revista Encontro dizendo que o caso de Goiânia não foi bullying. Até aí tudo bem, nem sempre é fác...